Tríduo em louvor a São Vicente de Paulo - 3º dia Destaque

segunda, 25 setembro 2017 17:48 Escrito por 
Classifique este item
(0 votos)
  • País: 1

3º Dia: Vicente de Paulo, Homem de Oração.

Com: Que alegria, meus irmãos, nos reunirmos mais uma vez para fazermos memória do legado deixado por São Vicente. Sua vida e o seu testemunho nos estimula hoje na busca de novas formas para correspondermos, com fidelidade, ao dom de nossa vocação. Só um coração impregnado do amor de Deus é capaz de contagiar os outros e produzir abundantes frutos.

Canto:

1) Glória e louvor ao ínclito Vicente,
Que Deus encheu de seu divino amor.
Foi na Igreja um sol resplandecente
Que dissipou as trevas do terror.

2) Glória e louvor ao Santo tão amável,
Que tem o zelo, a paz do Bom Pastor.
Vede-o correr após o miserável.
À sua voz se rende ao pecador.

Refrão: AO NOSSO DEUS, GLÓRIA E LOUVOR
ETERNAMENTE
AO DEUS DE SÃO VICENTE.
GLÓRIA E LOUVOR,

GLÓRIA E AMOR
POR NOS TER CONCEDIDO
PROTETOR TÃO QUERIDO.

3) Glória e louvor à grande caridade
À mansidão do servo do Senhor.
Aliviou a pobre humanidade
De todo o mal e infeliz labor.

4) Piedoso Pai, Vicente compassivo,
Rogai por nós a nosso Redentor,
E alcançai no dia decisivo
Nos dê, no céu, de glória o resplendor.

1ª Voz: São Vicente foi um homem de ação. Seu olhar sensível e seu coração terno alcançavam as necessidades que se apresentavam ao seu redor.

2ª Voz: Fez da vida que Deus lhe deu uma oferenda ativa, em nome do Evangelho que cura e põe de pé.

3ª Voz: Mas qual foi o seu segredo?

4ª Voz: A Oração, a vida espiritual.
Todos: “Meu Salvador Jesus Cristo, suplico-vos que concedais, abundantemente, à Companhia o dom da oração, a fim de que, conhecendo-vos bem, possa ela conquistar vosso amor. Dai-lhe, meu Deus, vós que fostes, toda a vossa vida, homem de oração, que a fizestes desde a mais tenra idade [...] Dai-nos este dom sagrado, a fim de que, por ele, possamos nos defender das tentações e sermos fiéis ao serviço que esperais de nós”. (SV XI, 428)

5ª Voz: A oração se modela sobre Deus. É reflexo da luz eterna, é esplendor, é fogo que ninguém pode manter escondido dentro de si, como um vaga-lume que não pode esconder-se nem apagar a própria luz.
6ª Voz: A oração é elevação e colóquio. Empenho e dom. É comunhão com o Pai e salvação para o mundo.
7ª Voz: “A oração,(...), é uma elevação do espírito a Deus, com que a alma se desapega de si para buscar a Deus nele mesmo. É um colóquio da alma com Deus, uma comunhão recíproca, em que Deus diz interiormente à alma o que quer que ela saiba e faça, e em que a alma diz a seu Deus o que ele quer que lhe peça. Grande excelência que no-la deve fazer estimar e preferir a qualquer outra coisa!” (SV IX, 419)
8ª Voz: O sentido de Deus na vida de São Vicente nascia de sua humildade.
9ª Voz: Da humildade nasce a caridade e nela se gera a oração. “Sem humildade não há oração” (Pe. Dodin).
10ª Voz: Tal humildade nascia da experiência de quem na vida descobriu que foi buscado por Deus, alcançado por Deus.

Canto:
a) "Sempre a Deus encontrarás, na ação ou oração,
se deixares de rezar pra ir ao pobre irmão,
Deus nele vais achar" (bis) (IX,319).
REFRÃO: "QUANDO OLHARES COM RECEIO
PARA O POBRE EM NOSSO MEIO
A MEDALHA VIRA ENTÃO:
ALI ENXERGARÁS A CRISTO, TEU IRMÃO" (bis)

b) "Missionário, no caminho, a morrer, sem pão, sozinho,
És feliz, se assim estás, por causa do amor
ao pobre teu senhor! (bis)

1ª Voz: São Vicente tinha um culto especial a Deus como Providência. Nada fazia, nenhuma decisão tomava, enquanto não via nem sentia se aquilo era a vontade de Deus.
2ª Voz: “Confiando em Deus, seu coração está seguro. Seu coração está tranquilo e nada teme”. (Sl 112, 7-8)
Todos: São Vicente buscou incessantemente “esvaziar-se de si mesmo para encher-se de Deus” (SV XI, 2), a fim de que, com o coração em Deus e os pés na realidade em que viveu pudesse, de forma criativa, passar da contemplação para a ação.
3ª Voz: Para São Vicente a oração era uma verdadeira revisão de vida, o momento onde se estabelecia consciente e lucidamente o contato entre Jesus e a vida missionária.
4ª Voz: Às Filhas da Caridade, exortou Vicente de Paulo: “E vós, minhas queridas Irmãs, não tendes coragem bastante para tentar seguir os desígnios que Deus tem de vos aperfeiçoar pela prática da vossa regra? Podeis fazer a vossa meditação desta maneira, que é a melhor; pois não se deve fazer para ter pensamentos elevados, êxtases ou arrebatamentos, que são mais prejudiciais que úteis, mas somente para vos tornardes perfeitas, e verdadeiramente boas Filhas da Caridade”. (Conf. 02/08/1640, pág. 20)
5ª Voz: “As vossas resoluções devem portanto ser assim: Irei servir os pobres; procurarei tratá-los com um ar modestamente alegre para os consolar e edificar; falar-lhe-eis como a meus senhores. [...] Terei paciência; [...] Procurarei não sair do meu dever e prestar-lhe-ei o respeito e a consideração que estou obrigada”. (Conf. 02/08/1640, pág. 20)

Com: Esta é uma oração missionária que integra a vida: tentar prever e considerar as ocupações do dia, os encontros ou as dificuldades e tentar vê-las como Jesus as via, para vivê-las como Ele as vivia.
6ª Voz: A oração de um Missionário não é um tempo de fuga, nem de êxtase, mas uma leitura de vida, um projeto de vida e do dia, segundo Jesus Cristo e com Jesus Cristo.
Todas: Para São Vicente, o que contava na oração, era a resolução. De fato, o mais importante, não era a maneira de entrar na oração, nem o modo como nela ficar, era sobretudo o modo como dela sair para os pobres.
7ª Voz: “A oração de São Vicente e a que ele ensina é simples e está impregnada das necessidades e das angústias dos pobres, pois a oração é vida que se expressa na relação com os irmãos e irmãs”.
8ª Voz: “Não é preciso esforçar-se nem ficar inventando palavras elevadas e sonoras. Deus nos ouve e nos entende muito bem, sem necessidade de palavra. Ele vê os nossos corações, conhece o nosso íntimo e com um doce e amoroso impulso cuida de nós” (SV XI, 222-223).
9ª Voz: “Buscai a Deus em vós. Buscai-O na vossa alma. Buscai-O na vossa alma, como em sua morada agradável; é aí que seus servos procuram colocar todas as virtudes em prática”.
10ª Voz: “É preciso ter vida interior e tender para alcançá-la; se falhamos nisso, falhamos em tudo”.
Todos: “Busquemos a vida interior, fazendo com que Jesus Cristo reine em nós”. (SV XII, 130-132)

 Palavra de Deus: I Jo 5, 14-15 (1ª Carta de São João)

 Momento de Interiorização e Partilha:
 Nossa oração revela abandono e confiança na Providência Divina?
 Transformamos nossa oração em vida?
Com: “Oração é vida e vida feliz. Quem vive para servir, quem reza para servir, é alegre, é feliz, porque todas as suas ações são prazerosas” (SL). Que nossa oração nos coloque no coração de Deus sem jamais nos tirar da realidade em que vivemos.
Canto: À Família Vicentina (CD Uma História de 100 anos – Curitiba – Faixa 10)

De São Vicente nós cantamos a ação
Que no Evangelho buscou inspiração.
Suas raízes campesinas bem humildes
Fê-lo fiel, sensível, sempre o bom irmão.

É Vicente, Vicente de Paulo
O grande apóstolo da caridade.
Na oração e na ação
Somos família realizando uma missão. (bis)

Em Santa Luísa , mulher tão caridosa
O materno e o feminino se revelam,
Sua ternura e ousadia se traduzem
Na fidelidade e no amor à Companhia.

É Luísa de Marillac!
Mulher presente na história.
Na oração e na ação
Somos família realizando uma missão. (bis)

Pai Nosso, Ave Maria e Bênção Final.

"Senhor, mandai bons operários à vossa Igreja, mandai missionários, como convém que sejam, para que trabalhem de modo eficaz na vossa vinha; pessoas, meu Deus, desapegadas de si mesmas, das suas comodidades e dos bens terrenos. Não importa se em pequeno número, contato que sejam bons. Senhor, concedei esta graça à vossa Igreja".
(São Vicente de Paulo)

1º dia do Tríduo em honra a São Vicente de Paulo

2º dia do Tríduo em honra a São Vicente de Paulo

Ler 119 vezes Modificado em segunda, 25 setembro 2017 18:12

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.