“Temos Mãe!” Destaque

segunda, 19 junho 2017 07:28 Escrito por 
Classifique este item
(0 votos)
  • País: 1

Os dias 13 de maio são sempre especiais em Portugal. Porque é a data em que celebramos o aniversário da primeira aparição de Nossa Senhora de Fátima aos três pastorinhos – Lúcia, Francisco e Jacinta – e, por isso, rumamos sempre a Fátima para o Altar do Mundo, onde somos acolhidos pela nossa Mãe do Céu.

Mas o 13 de maio deste ano foi muito (mesmo muito) especial. Porque celebrámos o centenário das aparições de Nossa Senhora de Fátima, porque tivemos a graça de ter dois novos Santos portugueses – os dois pastorinhos de Fátima – e porque tivemos connosco um peregrino muito especial – um “peregrino na esperança e na paz” – o nosso muito querido Papa Francisco.

Claro que os jovens portugueses da Juventude Mariana Vicentina não poderiam deixar de marcar presença neste momento histórico para a Igreja e, em especial, para a Igreja de Portugal. Por isso, rumámos a Fátima cerca de 50 jovens da Juventude Mariana Vicentina, vindos de todas as partes do país. De carro, de comboio, de autocarro e alguns mesmo a pé. Para todos a peregrinação começou bem cedo, ainda no dia 11 de maio. A afluência a Fátima previa-se que viesse a ser muita e, por isso, com bastante antecedência tivemos de nos pôr a caminho. Já em Fátima pudemos participar nas celebrações do centenário. O primeiro ponto alto foi na tarde do dia 12 de maio, com a receção do Papa Francisco. Recebemos um Papa peregrino, devoto da Virgem de Fátima, que fez questão de ter um momento de oração pessoal junto da imagem de Nossa Senhora. Nessa altura, um imenso silêncio percorreu o Santuário. À noite, participámos com o Papa Francisco na oração do rosário e na procissão das velas. Neste momento, o Papa Francisco referiu que todos os cristãos devem ser “marianos” e sublinhou a “relação essencial, vital e providencial que une Nossa Senhora a Jesus e que nos abre o caminho que leva a Ele”. No final do rosário referiu, ainda, que sempre que retomamos a oração do terço, “o Evangelho retoma o seu caminho na vida de cada um, das famílias, dos povos e do mundo”.

Embora o Papa Francisco se tenha retirado, para descansar, os jovens permaneceram, celebraram a Eucaristia e estiveram durante toda a noite em oração permanente no recinto do Santuário. Chegou, então, o dia 13. Bem cedo, quando os primeiros raios de sol despontaram, foram acordados os que tinham adormecido. Felizmente a chuva que nos tinha acompanhado durante o dia 12 cessou durante a noite, permitindo passarmos a noite com mais conforto no recinto do Santuário. Começámos a manhã com a oração do rosário e, mais tarde, recebemos novamente o Papa Francisco, para a Eucaristia. Na Eucaristia foram canonizados dois dos pastorinhos – São Francisco Marto e Santa Jacinta Marto – os dois santos não mártires mais jovens da Igreja. A Eucaristia foi muito celebrativa e com muito significado para todos os presentes e também para os jovens, pois estar com o Papa Francisco é sempre muito tocante… o nosso Pastor é, para nós, uma referência. E as palavras que nos ficaram mais vincadas na memória e que ainda hoje nos aquecem o coração foram as que nos dirigiu o Papa Francisco na Eucaristia: “queridos peregrinos, TEMOS MÃE, TEMOS MÃE! Agarrados a Ela como filhos, vivamos da esperança que assenta em Jesus.” O Papa recordou-nos que Nossa Senhora – Aquela que em 1830 apareceu a uma Filha da Caridade e pediu que fosse criada a Juventude Mariana Vicentina – é a nossa Mãe do Céu… É Aquela que nos acolhe sempre no seu colo maternal e que nos protege com o Seu manto… É Aquela que sempre intercede por nós junto do Pai. E deixou-nos uma interpelação final: “sob a proteção de Maria, sejamos, no mundo, sentinelas da madrugada que sabem contemplar o verdadeiro rosto de Jesus Salvador, aquele que brilha na Páscoa, e descobrir novamente o rosto jovem e belo da Igreja, que brilha quando é missionária, acolhedora, livre, fiel, pobre de meios e rica no amor”.

Estes dois dias foram muito duros (do ponto de vista das condições logísticas, muito semelhantes a uma vigília de uma Jornada Mundial da Juventude), mas foram tão intensos e permitiram a vivência de uma experiência tão profunda de comunhão com os outros jovens, com os outros peregrinos e com o Papa, que ficarão certamente na memória de todos nós para sempre. Agradecemos ao Pai pela graça que foi participar nesta peregrinação centenária, onde tivemos também a oportunidade de ter connosco os jovens seminaristas da Comunidade Interprovincial de Formação Inicial da Congregação da Missão de Salamanca, Espanha.

E sempre poderemos dizer: EU FUI PEREGRINO NA ESPERANÇA E NA PAZ COM O PAPA FRANCISCO!

JMV Portugal

ozio_gallery_nano

Ler 1057 vezes Modificado em terça, 20 junho 2017 08:00

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.