Como a semente de mostarda Destaque

quarta, 22 julho 2015 14:13 Escrito por 
Classifique este item
(1 Vote)
  • Pa├şs: VMY, Egypt
  • Autor: Andrew Wagdy

Como jovens de uma sociedade de grande densidade populacional, que tem sido testemunha de grandes distúrbios e agitações ao longo dos últimos anos, sentimos o peso da responsabilidade sobre nós. Notamos que o fosso entre o pobre e o rico é cada vez maior e, em colaboração com outras associações cristãs de caridade, fazemos esforços para preencher esse fosso.

É muito fácil dar-se conta desta realidade e ver como muitas pessoas perderam a esperança e, em algumas ocasiões, sentem-se abandonadas pelo resto da sociedade. Num país superpovoado como é o Egipto, é muitas vezes difícil distinguir entre o que está bem e o que é aceitável, porque o que é aceitável para a maioria da sociedade não é substancialmente correto ou bom, do ponto de vista da nossa fé Cristã.

Esta elevada percentagem de desilusão cresce nos corações dos jovens, assim que se apercebem que mudar não é tão fácil como parece, e que o fundamental para mudar reside em si mesmos. Entendemos que a nossa missão é esclarecer o caminho e, por fim, ligar com a verdadeira transformação do coração, o espírito e a realidade. E é impossível conseguir alcançar esta meta sem que antes nós mesmos sejamos exemplos vivos de cuidado e afeto com entusiasmo para com aqueles que necessitam.

Foto JMV Egipto TestimonioHoje, a JMV é uma das associações mais conhecidas da Igreja Católica que serve tanto as comunidades cristãs como também toda a sociedade egípcia. Em Alexandria, o Festival da JMV é o segundo maior festival da cidade. Os grupos locais que organizam o evento desde 2008 conseguiram chegar ao centro das famílias semeando felicidade e paz nos corações de pessoas com diferentes crenças políticas e religiosas. Apesar das numerosas dificuldades que se enfrentam no Cairo, os dois grupos da JMV que aí existem continuam com o seu programa formativo. Os grupos em Asyut continuam a crescer continuamente e trabalham mais em programas de serviços de ajuda ao pobre, aos órfãos e às viúvas, divulgando o espírito de caridade.

Estes êxitos nem sempre são fáceis de atingir. Recordo as imensas ocasiões em que nos diziam que esses esforços eram em vão ou que esses projetos eram inúteis. Vimo-nos forçados a encontrar-nos com a ignorância, porque em algumas ocasiões o problema era muito complicado para ser totalmente resolvido e o nosso contributo estava limitado a impedir que a situação ficasse pior do que já estava. O nosso segredo encontra-se em acreditar que todos os esforços são úteis, inclusivamente quando os resultados não são visíveis ou são menores do que os esperados, porque o motivo da nossa existência ou trabalho na sociedade é o resultado visível do trabalho de Cristo nos corações dos jovens enquanto mantemos a esperança que a caridade não é apenas uma opção mas sim um dever para qualquer cristão que é consciente da sua fé.

Por outro lado, a deceção ensinou-nos muito, principalmente nos primeiros anos, quando era muito difícil para os grupos trabalharem com facilidade ou mesmo reunirem-se durante os distúrbios. O nosso trabalho nesses tempos difíceis foi dar aos membros esperança e fazer com que essa esperança fosse credível e sustentável, inclusivamente nos piores cenários, porque o seu trabalho posterior seria dar um passo mais; espalhar essa esperança e dar a conhecer às outras pessoas a razão do seu otimismo. Isto ocorreu a muitos níveis e era comum ver como as pessoas se uniram a nós, ao nosso grupo de oração através dos meios sociais e a interação incrível que depois surgiu. Esta foi a razão pela qual muitos se fortaleceram para dizer que acreditavam que as coisas poderiam mudar para melhor e pacificamente e até agora é esta a crença que tratamos de fortalecer. Um dos nossos principais objetivos neste período é dar uma atenção especial às mudanças que a juventude enfrenta na sociedade dos dias de hoje, e propor alternativas para superar essas alterações no trabalho de desenvolvimento desde o nosso programa de formação, procurando ajudar a discernir no meio das crescentes necessidades ideológicas.

Foto JMV Egipto Testimonio II

Como Vicentinos recordamos o grande impacto positivo que pessoas como São Vicente, Santa Luísa e Frederico Ozanam deixaram sobre o futuro das suas sociedades, em tempos em que as condições sociais não eram as melhores. De todas formas, eles nunca se esqueceram da semente de mostarda, que é a semente mais pequena de todas, mas que cresce tanto que os pássaros podem repousar na sombra dos seus ramos.

A Jesus com Maria,
Andrew Wadgy
JMV do Egipto

Foto Andrew JMV Egipto

Ler 766 vezes Modificado em quarta, 22 julho 2015 14:14

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informa├ž├Áes (*) requerido onde indicado. C├│digo HTML n├úo ├ę permitido.